Completam-se, em 2019, trinta anos sem o muro de Berlim. Que os próximos trinta sejam também sem muros.
Sem barreiras. Sem ódios. Sem julgamentos e pré-julgamentos. Sem escudos. Sem máscaras. Sem meias-palavras e meias-verdades. Sem palavras pela metade. Sem falsas moralidades. Sem fronteiras marcadas. Sem certezas fadadas. Sem dedos apontados e desejos velados. Sem pontas amarradas. Sem corpos escondidos. Sem almas encolhidas. Sem detalhes esculpidos. Muito mais cru do que cozido. Mais sabor do que valor.
Mais entradas que saídas. Com amor, SEM MEDIDAS.